Considerado o mais abrangente, completo e revelador, o Mobility Index é responsável por analisar a presença, estrutura e estratégias mobile das principais marcas do mercado brasileiro.

Realizado pela Pontomobi, o estudo avaliou 325 marcas, sendo estas segmentadas em 132 de produtos e bens de consumo, 110 de serviços e 83 de varejo.  

Foram analisados os canais de interação móvel mobile web, aplicativos, plataformas conversacionais e plataformas sociais. O estudo contou com um sistema de notas de 0 a 10 para as marcas, o que as posicionou em uma escala classificatória de Mobile Expert, Mobile Ready, Mobile Basic e Mobile Beginner.  

Vamos aos dados?

Com base nos dados capturados em outubro de 2019, dos pilares avaliados, apenas 6% das marcas foram classificadas como Mobile Expert, número equivalente a 21 marcas do total. Em contrapartida, 71 marcas foram classificadas como Mobile Beginner, cerca de 22% do total. As outras 233 marcas representam 28% na escala Mobile Ready (90) e 44% na Mobile Basic (143).  

Já quanto aos segmentos por experiência móvel, as marcas mais bem posicionadas, classificadas como Mobile Expert e Mobile Ready, fazem parte dos segmentos de telecomunicação, companhias aéreas, tecnologia e benefícios.  

Das classificadas como Mobile Basic, o estudo levanta os segmentos de varejo e construção, imobiliária e construção, cosméticos e farmacêutico. Dos menos maduros neste quesito, os classificados Mobile Beginner, os segmentos encontrados foram higiene e limpeza, química, mineração e agricultura.  

Dadas estas classificações, a pontuação média das marcas foi de 5,2, o que na escala Mobility Index qualifica o Brasil como Mobile Basic.

Mobile Web

Otimização e responsividade, clicabilidade, legibilidade e tempo de carregamento das páginas foram alguns dentre os 15 critérios avaliados no canal Mobile Web. Das 325 marcas, 98% possuem mobile site, os quais 70% são otimizados e 28% são responsivos.  

Quanto aos segmentos do canal, o estudo destacou telecomunicações e aluguel de veículos como os mais bem avaliados, com notas de 8,59 e 8,44 respectivamente. Em termos de aplicação do canal, a maioria deles oferecem conteúdo (94%), serviços (61%) e transações (37%).  

Aplicativos  

O estudo apurou 22 critérios para este canal como disponibilidade e diversidade, rating e reviews nas lojas de aplicativos e recência de atualização.

Das 325 marcas, 46% contam com aplicativos personalizados, sendo 95% para plataformas iOS e 97% para Android. Destes, 16% contam com reconhecimento por imagem, 5% NFC e 5% comando de voz. Telecomunicações e tecnologia foram os segmentos mais bem avaliados deste canal. Em termos de aplicações, 82% oferecem conteúdos, 78% serviços e 41% transações.

Plataformas Conversacionais

No pilar de Plataformas Conversacionais, critérios como uso de ferramentas, número de plataformas e tempo de resposta foram alguns dos 10 avaliados. Telecomunicações segue como destaque acompanhada de aéreas.

Quanto as formas de comunicação, 93% utilizam o Messenger, 42% via SMS, 38% webchat e 7% WhatsApp. Cerca 19% das marcas possuem mais de 3 destes canais. Em contra partida, 5% das marcas não possuem nenhuma plataforma deste modelo.

Plataformas Sociais

Já no canal de Plataformas Sociais, presença nas redes, conteúdo mobile-friendly, linguagens e códigos foram alguns dos 10 critérios apurados pela pesquisa. Os segmentos que apresentaram melhores resultados foram Tecnologia e novamente Telecomunicação, com notas 10 e 9,86 respectivamente.

De todas as 325 marcas avaliadas pelo estudo Mobility Index 2019, o Itaú, Vivo, Bradesco, Smiles e Leroy Merlin lideraram o ranking das 5 marcas mais bem avaliadas no quesito experiência móvel.  

Mesmo que o Brasil tenha sido avaliado como Mobile Basic, o estudo mostra que houve certas melhoras nas notas médias para o Mobile Web e Plataformas Conversacionais.  

Além disso, o estudo levanta as oportunidades de crescimento de canais oficiais como WhatsApp, nos quais 7% das marcas já possuem iniciativas.  

E aí, o quer achou do Mobility Index 2019? Conta pra gente!