Em julho deste ano, o Google anunciou como padrão de ativação a indexação que prioriza dispositivos móveis para todos os novos sites (novos na web ou desconhecidos para  a Pesquisa Google até o presente momento).

Mudanças como essa estão sendo estudadas desde o final de 2016, trazendo alterações de forma gradativa para não impactar drasticamente os envolvidos. O objetivo central é incentivar adaptações nos domínios a fim de melhorar a experiência dos usuários.

Mas antes de tudo: o que é e como funciona o Google Mobile First Index?

O termo Mobile First se trata de um conceito aplicado em projetos web, onde o foco primário e da arquitetura e do desenvolvimento é direcionado para dispositivos móveis. Aqui, o desenvolvimento para desktops fica em segundo plano, não sendo o foco principal em questão.

O Google Mobile First Index traz esse conceito para a esfera de indexação do buscador Google. O termo refere-se ao ranqueamento dos sites quanto o fator versão mobile, no qual o posicionamento passa a estar diretamente ligado ao fato do seu site possuir ou não uma versão para dispositivos móveis.

Mas que fique claro: não é de hoje que o mobile vem sendo um aspecto importante de ranqueamento. E para entender o porquê dessa importância, vamos aos dados:

O acesso à internet por dispositivos móveis ultrapassou o acesso via desktops. A cada 5 pesquisas realizadas na internet, 3 são feitas através dos dispositivos móveis. Destas buscas mobile, 77% acontecem em casas e ambientes de trabalho, e não mais nas ruas.

Segundo Digital-Stats, 75% das pesquisas levam à ações subsequentes positivas para o mercado: A cada 10 buscas, 9 resultam em visitas à página ou compra.

Números relevantes como estes devem (e merecem) ser aproveitados. Mas vamos para o que realmente interessa...

Afinal, como o ranqueamento é afetado?

A princípio, quem se preocupou com design responsivo, velocidade de carregamento e conteúdo integral para ambas versões não tem com o que se preocupar. Nestes casos, as páginas serão ranqueadas de acordo com sua qualidade e com os requisitos que conseguem validar.

Mas se fatores como design, produto e estratégia de SEO não foram foco do seu planejamento, atente-se.

Em casos de sites voltados para desktops, sites com web design responsivo ou com AMP canônica, a versão para dispositivos móveis será igual à versão para desktop. Mas caso o seu site tenha conteúdos diferentes para computador e dispositivos móveis, ou seja, páginas com veiculação dinâmica ou URLs diferentes (m-dot), aconselhamos que atente-se as considerações a seguir.

O que precisa ser mudado?

Se o Google direciona atenção para determinado aspecto, sua estratégia deve fazer o mesmo. Diante disso, alguns fatores que abrangem design e estratégia de SEO precisam ser revistos devido o Google Mobile First Index.

Investir em sites mobile friendly que apresentem um design responsivo e adaptável à qualquer dispositivo móvel, contar com AMP a fim de diminuir o tempo de carregamento das mesmas e manter igualdade entre as versões mobile e desktop, com dados e conteúdos bem estruturados em ambas são pontos que merecem devida atenção, que demandam esforços bem direcionados e que farão toda a diferença para o posicionamento do seu site.

E aí, você está pronto para mover esforços voltados para a experiência dos seus usuários?

O Google está, e por isso, é bom que seu site também esteja!